Arquivo da tag: silhueta

Sem categoria

Três dicas de estilo no look da Marina Ruy Barbosa

A SPFW começou segunda-feira, já estamos no terceiro dia e eu estou toda atrasada na cobertura! Como sempre! Fico naquela de deixar para ver tudo depois e fazer um resumão aqui para o blog, mas já vi que essa história de acumular não funciona. Então, vou começar minha humilde cobertura com look de celebridade porque ainda não terminei meu resumo do primeiro dia.

Primeira coisa: milagre Marina Ruy Barbosa não estar de renda, bordados e brilhos. Só isso já me chamou a atenção. Segunda coisa: dá para tirar uma boas dicas dessa composição dela – ou do stylist dela, vai saber? – para nossa vida. Por isso, a escolhi para nosso segundo post da sessão “look do dia com informação“. O primeiro foi aquele look da da Olivia Palermo (clica aqui para ver).

Eu sei que ela é magrinha, toda em forma e não precisa de truques disfarçar nada, mas esse look aí que ela escolheu pode funcionar para outros tipos de corpos também. Anota as dicas!

Marina-Ruy-Barbosa-Look-SPFW01

Dica 01: look monocromático + mix de materiais

Ela tá toda de azul, em tons diferentes, mas a cor é a mesma em todas as peças que ela veste e a gente já conversou aqui que look monocromático ajuda a alongar a silhueta, lembram? E a composição também ficou interessante por contar com peças de materiais diferentes nessa mesma cor, no caso o couro + seda + jeans.

Dica 02: comprimento da saia
O comprimento da saia também é importante nessa hora. A Marina não é baixinha como eu, mas também não é super alta, ela tem 1,67. Mas quando a gente usa saia abaixo do joelho a tendência é parecer menor do que se é, já que encurta visualmente a nossas perninhas. Quando mais perna se mostra, mais alta – ou menos baixa, no meu caso – se parecer ser.

Dica 03: terceira peça.
Dos truques que esse look pode nos render, o que mais gosto é o da terceira peça. Nesse caso é ainda mais legal porque ela não escolheu um blazer, ou um casaco, ela foi de camisa jeans. Essas que a gente usa fechada, na sua função normal de camisa, nesse look fez as vezes do blazer/casaco. E essa versatilidade da peça serve não só para camisa jeans, mas para outros materiais também. Mas voltando a função da terceira peça, ela dá um “a mais” no visual, porque imagine aí como seria sem graça se ela não estive no look? Além disso, ela cria aquela velha e boa linha vertical na silhueta, que faz o olhar de quem nos ver ir de cima para baixo, e criar a ilusão de comprimento. A gente parece mais alta and mais magra porque ela também dá aquela escondida nos curvas do culote (para quem tem, né? não é o caso dela) se ela for mais escura que a peça de dentro.

Marina-Ruy-Barbosa-Look-SPFW02

Então, deu para tirar uma ideias promissoras, né?  É muito legal ver, admirar um look bonito, e acho super natural querer reproduzir isso em si com as peças que temos em casa. Mas é importante analisar as informações por trás dessa escolha, o que essa composição pode favorecer seu corpo ou não, afinal, a gente quer mostrar o nosso melhor, não é mesmo? Valorizar nossos pontos fortes e disfarçar os “não tão fortes” é bacana e por isso precisamos entender que tem coisas que vão ficar bem na gente e outras não. Ninguém tem o copo  igualzinho ao do outro! Vale a pena experimentar as dicas, se olhar no espelho e se sentir bem e bonita, porque não vestir um look igual? ;)

Sem categoria

Cinco lições de estilo em um só look

Se você me segue lá no Facebook (se não, curte a gente agora para acompanhar tudo por lá!), deve ter visto o pedacinho do look lenço-com-cinto da Olivia Palermo que postei esses dias. Se não viu, vê agora e inteirinho! Porque Olivinha é cheia dos truques bons para a gente observar e aprender. Então, com vocês, uma aula de estilo com Sra. Palermo-Huebl (porque agora é uma moça casada) em apenas um look!

r10

Lição 01: elementos similares.
Ela podia usar só o vestido, que já tem uma renda linda. Mas aí não seria ela, rainha das composições, sobreposições e misturas. O diferencial aqui é o mix da textura da renda com a estampa do lenço, que parece uma renda.

Lição 02: cartela de cores.
O vestido tem um degradê, que vai do branco para um acinzentado, que também tem no lenço, junto com azul e marrom, este último também presente no cinto. Viu? Não é complicado assim combinar cores! Você pega uma das cores na estampa para compor sem ficar coordenadinho em excesso.

Detalhes-Look-Renda-Palermo

Lição 04: Alongando a silhueta.
Olivia é relativamente baixa, tem 1,64cm de altura. Apesar do comprimento midi normalmente fazer a gente parecer mais baixa ainda, ela usa alguns artifícios para minimizar isso (tem post sobre o assunto aqui). O lenço na frente, parecendo um colete, cria uma linha vertical que faz nosso olho correr de cima a baixo na silhueta da pessoa. Assim ela parece mais longilínea. Tudo que cria linha vertical no look traz esse efeito: colar comprido, blazer, lenço… #ficaadica Além disso, ela usa uma sandália com peito do pé todo à mostra e a tirinha no tornozelo é de uma cor que não contrasta tanto com a pele (também temos post mára sobre efeitos dos sapatos na silhueta aqui, vai lá ver!).

r5

Lição 05:  Criando cintura
Não sei se você já viu a Palermo de biquíni, mas ela tem zero cintura. Por isso, quase sempre usa cintos e outros artifícios para dar um ilusão de curvas. Portanto, se você tem faz parte do time corpo retângulo (também temos post falando dos tipos físicos aqui no blog :D), aposte no cintinho ou nas roupas acinturada.

Para mim, isso é look do dia com conteúdo. É aprender, observando o que podemos tirar de bom para favorecer o nosso vestir. Inspirar de verdade e não simplesmente copiar sem entender o que naquela composição pode ser bom ou não para o seu estilo, corpo e necessidades.  Espero que vocês gostem desse tipo de post!

Sem categoria

O biquíni ideal

Uma amiga me sugeriu essa pauta: o modelo ideal de biquíni para cada tipo de corpo. Só que eu fico meio com preguiça de fazer post com essas pautas que já tem em milhares de outros blogs. Tanta gente boa já falou sobre o assunto e tem tanto material legal pela internet afora, que acho que ninguém vai se interessar pelo post. Mas aí a leitora pede e eu paro e penso que essa é uma informação importante para se ter em todo blog que fala de moda e estilo, mesmo que outros já tenham falado sobre. Então, vamos lá, né?

Já fizemos um post aqui falando sobre os tipos de silhueta, mas se você acha que não se encaixa com nenhum deles, não tem problema. Até porque tem gente que tem quadril largo +  ombro estreito (corpo pera) mas tem bastante seio e tem outras que tem pouco quadril, mas tem barriguinha + seios pequenos, e por aí vai, né?  Tem gente de todo tipo nessa vida e nem todo mundo se encaixa em classificações, que ajudam muito, mas não são absolutas. Assim vamos separar o pontos mais críticos, as características que a mulherada mais quer disfarçar.

1. Quadril:

A fórmula é simples, quem tem muito quadril e quer disfarçar, tem que usar o truque de fazer o olho de quem te vê ir para outro lugar. Para isso, a calcinha do biquíni precisa ser mais discreta que a parte de cima, que deve ter estampas, cores, aplicações, etc. Procure usar modelos com as laterais mais largas, para não marcar. E pode ter lacinho? Até pode, as meninas do Oficina de Estilo explicam de um jeito bem legal que eu tive que copiar, olha só: “A calcinha pode ter a lateral mais espessa e pode até ter faixinhas pra amarrar – mas as faixas não podem ser tão finas que cortem a lateral do corpo e formem uma explosão de carninha extra em cima e embaixo do laço.”

biquini-ideal-muito-quadril-01

Para quem tem pouco quadril e quer parecer mais curvilínea pode apostar em biquínis mais chamativos  na parte de baixo: estampas, cores vibrantes e muitos detalhes, como laços, ferragens, babados etc.  Eles ajudam também quem não tem muita cintura, pois ao dar volume ao quadril, a cintura parece que fica menor.

Nem sempre quem tem pouco quadril tem necessariamente bumbum pequeno, mas se for o seu caso e você quiser fazê-lo parecer maior, invista em calcinhas com, estampas grandes e coloridas (tipo horizontais!) e detalhes como laços, zíperes e bordados. Os lacinhos finos nas laterais, que dão mais volume à região e  as calcinhas mais cavadas também dão essa impressão.

2. Seios:

Se você tem seios fartos, o mais importante é investir em sustentação. Mesmo os tomara-que-caia ou frente única também podem ser usados, desde que tenham reforça na laterais e/ou alças no caso do primeiro tipo, e alças largas para o segundo. Bojo também é possível, porque nem todo bojo aumenta o volume. Alguns são discretos, suficientes para modelar e ajudar a sustentar, principalmente os modelos frente única. Já os meia-taça, melhor que sejam sem o bojo, mas com aro. Tudo isso valoriza o seu busto, que não precisa necessariamente ser disfarçado. Tem gente que gosta, né?

biquini-ideal-seios-grande01

Mas se mesmo assim você quer disfarçar, procure usar cores discretas, sem bordados, brilhos e aplicações. Caso tenha o quadril mais estreito, equilibre a proporção usando uma parte de baixo com cores, estampas, detalhes… tudo que leve o olho de que te vê para a parte de baixo.

Quem tem seios pequenos pode ser mais feliz na hora de escolher porque tem muitas opções: tomara-que-caia, cortininha, frente única, tudo muito colorido, estampando e com detalhes. O tomara-que-caia reto e/ou sem bojo não ajuda, prefira o torcido, sabe como é? Usar biquínis mais discretos, liso e de cores escuras vai fazer os seios parecem menores.  Se você tem o quadril largo, talvez não seja uma boa escolha porque acentua a desproporção entre a parte de cima e de baixo.

biquini-ideal-seios-pequenos01

Olha como o tomara-que-caia preto sem bojo achata o pouco que ela já tem e deixa os seios menores e com a impressão de caído. Quando é estampado e torcido, com estrutura, parece os seios são maiores e tudo no lugar ;)

biquini-ideal-seios-pequenos02

Não é que fique feio, mas a cortininha lisa, em cor escura também achata e não valoriza. Quando tem estampa, parece que preenche mais.

3. Barriga:

Nem todo mundo que tem barriga, tem quadril largo e vice-versa. Mas a modelagem que disfarça o quadril largo + cintura alta (um pouco abaixo do umbigo) também ajuda quem não tá com a barriguinha lisa e quer dar uma amenizada. Cores escuras, listras verticais e estampas miúdas também são boas escolhas!

biquini-ideal-barriga-saliente01

Repare que a da esquerda nem tem tanta barriga assim, mas se estivesse com um biquíni maior, com laterais um pouco mais largas já valorizaria mais o corpo ;)

Mas e seu eu tiver seios, quadril fartos e barriga saliente? Como faz? Junta as três dicas e aplica: calcinha discreta sem muito detalhes (pode ter cor, viu gente! não precisa ser só preta, só não precisa ser chamativa, super neon ou muito clara) + cintura alta (não precisa ser retrô, só um pouco mais alta) + top estruturado que sustente bem o volume, com cores também discretas, sem muito enfeites. Se você tem pouco seio e sem quadril, faz tudo ao contrário. Vai fazendo a soma das dicas para cada característica que você tenha.

Mas o mais importante é: não deixa de ir à praia porque você não tem o corpo da Sabrina Sato! Ninguém precisa ser musa de escola de samba para curtir o verão! Vista seu biquíni – se você gostar do maiô, tudo bem, mas não precisa ser ele só porque não está magrinha – e vá se divertir! Verão é para isso e não para passar o ano na neurose de projetos para ter um corpo “perfeito”.

Sem categoria

Sapato para alongar a silhueta

Apesar do senso comum, não é o salto que te faz parecer mais alta ou não. Ok, ele vai fazer você ganhar alguns centímetros, mas isso não é garantia de que você pereça visualmente mais alta aos olhos de quem te vê. Existem outros truques que já publicamos aqui  no blog que também podem fazer isso por você e a escolha do sapato certo pode contribuir muito.

De cara eu já te digo para esquecer essa história de que mulher baixinha não deve usar sapato sem salto. Não existe isso! A gente usa o que gosta e existem várias formas de harmonizar nossas escolhas para favorecer nossa silhueta. Você vai ver que você pode parecer mais alta de sapatilha do que usando um salto anabela, por exemplo. Eu disse parecer, certo? Porque em termos de centímetros é claro que com salto você estará mais alta, mas se ao olhar para você as pessoas não conseguirem notar isso, a sua anabela não adianta muito. O objetivo é alongar as pernas com a escolha do sapato adequado. Vamos às dicas e se prepara porque o post é longo!

1. Bico fino alonga, bico redondo encurta

O bico mais fino do sapato dá uma sensação de que seu pé termina além, e com isso você parece ter pernas mais compridas. Já o bico redondo mostra exatamente onde o seu pé termina e não exatamente encurta, mas não ajuda a alongar. Se for daquelas bicolor, com a pontinha escura, aí sim encurta. Tanto que o objetivo de Coco Chanel, quando a criou, era fazer os pés parecerem menores – já que ela tinha pés grandes e não os achava muito femininos. Se você não gosta de bico fino, a dica para ajudar com os de bico redondo está logo abaixo.

bico-fino-sapato-alonga-perna

2.Cores semelhantes…

à cor da sua perna, ou à meia-calça (se estiver usando), ou a cor da sua calça. Se você quer que sua perna pareça mais longa, evite contraste de cores: meia calça preta + sapato claro, por exemplo. Se a sua perna estiver exposta, invista em sapatos nude, ou seja, que tenham a cor parecida com sua pele. Já falamos sobre eles no blog (neste post aqui). Tudo isso cria uma linha visual continua que contribui para a sensação de pernas mais longas.

sapato-nude-alonga-perna01

No caso da primeira foto, mesmo tendo uma tira no tornozelo, a sensação é que a perna é longa porque é tudo de uma cor só, você não sabe onde termina perna e começa o pé. Quando o calçado tem outra cor, você tem essa exata noção. Para quem gosta de calçados com tira no tornozelo, escolher uma cor próxima à da sua pele elimina o efeito encurtador.

3. Peito do pé a mostra

Gáspea é aquela parte do calçado que cobre o seus dedos. Quando ela cobre muito os dedos, ela é alta. Se cobre pouco, deixando os dedos aparecendo um tantinho, ela é baixa. E quanto mais baixa é a gáspea, mais longa sua perna parece ser, porque aparece mais pele. Quando ela é alta e cobre muito, encurta a perna. Ou seja, para alongar, melhor optar por sapatos de gáspea baixa (peep toe, scarpin, sapatilhas) e sandálias abertas que não cubram o peito do pé  (gladiadoras e similares não são indicadas nesse caso).

peito-do-pe-livre-alonga

Veja que dá para notar claramente que se ambos os calçados, de salto ou não, não tivesse todos esses detalhes no peito do pé, as penas das mocinhas pareceriam bem maiores, não?

4. Sem detalhes no tornozelo

Assim como os detalhes no peito do pé, tudo que para na altura do tornozelo encurta as pernas porque corta visualmente a sua silhueta naquela região. Sapatos abertos no topo permitem que os olhos sigam até o dedo, o que alonga a aparência da perna. Vale também para botas de cano curto, que além de pararem no tornozelo ainda cobrem o peito do pé.

sandalia-sem-tira-alonga-perna

Na primeira foto é muito nítido como a perna fica muito mais comprida visualmente falando, comparando com a outra, com a tira. Na segunda, a cor nude minimiza a sensação de corte da silhueta que uma esse tipo de bota normalmente causa, como dá pra perceber com a cor preta.

Mas se você ama sandália gladiadora, bota cano curto, ou qualquer outro sapato de gáspea alta ou com tira no tornozelo e quer usar, tudo bem. A gente pode usar outros truques para compensar: prefira em cores próxima a da sua pele e combine com peças de comprimento mais curto, que deixem bastante perna a mostra. Se for de tiras, quanto mais fina a tira, melhor. Aliás, esse coisa do comprimento da roupa é importante: quando mais você cobre o pé, mas descobre a perna para compensar o efeito achatador.

No fim de tudo, ainda sobre o velho e bom salto que ajuda demais. Mas não é a solução sozinha, já que usar um saltão com uma tira super grossa no tornozelo, por exemplo, pode achatar também. Junte o salto com as dicas acima que o resultado vai ser muito melhor! É só fazer um jogo de compensação entre as dicas.

Estilo

Qual o meu tipo de corpo?

Quando a gente resolve cuidar da nossa imagem e investir em roupas que nos valorizem, a primeira providência que precisamos tomar é conhecer bem o nosso corpo. Se a gente quer comprar e usar roupas que nos deixem mais bonitas, escondendo o que não é tão legal e ressaltando nossos pontos fortes, a gente precisa saber onde estão estes pontos, quais as nossas proporções. Saber qual o seu tipo de corpo pode ajudar bastante nesse processo.

As meninas do Oficina de Estilo – que eu adoro! – usam a teoria do peso visual. Independente dos cinco tipos de corpo feminino, que a gente vai ver logo abaixo, elas entendem que é mais importante saber onde o sua silhueta chama mais atenção. Não importa quanto mede em centímetros, mas onde o olho bate primeiro quando a gente te vê. E isso dá pra descobrir também medindo o corpo com um fita comum, não precisa ser métrica. Onde a fita é maior é o seu peso visual, e aí você trabalha as suas escolhas no intuito de equilibrar onde tem mais peso visual com onde tem menos.

Mas acredito que para quem vai fazer esse exercício de observação e escolha de roupa sozinha, sem auxilio de profissional, pode ser bom conhecer as classificações dos tipos físicos.

Silhueta

Na teoria existem cinco tipos físicos e provavelmente a gente se encaixa na descrição de alguns deles. Se você não tem as características exatas de um deles, não tem problema. Especialmente aqui no Brasil onde há muita mistura e diversidade, é impossível que todas as mulheres estejam enquadradas em só cinco tipos. Daí você pode usar também a técnica do peso visual, que a gente falou lá em cima. Perceba também que para cada tipo desses acima, existe uma maneira de disfarçar os desequilíbrio visual da silhueta.

1. Ampulheta – Os  ombros e quadris com a mesma largura e a cintura fina.

Esse é o corpo que quase todo mundo deseja ter, pois as formas proporcionais fazem com que a qualquer tipo de roupa lhe caia bem. A dica é valorizar marcando a cintura e ressaltando as formas, sem exageros.

2. Triângulo ou pêra – ombros estreitos, quadris largos e cintura fina

Acho que a maioria das brasileiras tem essas características. Aqui a solução é dar destaque a parte de cima, que é mais fina, evitando detalhes, babados e cores claras na parte de baixo, de modo a não chamar atenção para a parte mais larga do corpo. Assim, as proporções ficam balanceadas.

 3. Triângulo invertido – ombros largos e quadril estreito.

Aqui o segredo é balancear a desproporção entre ombro e quadril com um pouco de volume na parte de baixo. Assim fica tudo visualmente mais harmonioso. As blusas devem ser em cores escuras e sem muitos detalhes pois o destaque deve ficar embaixo, onde a pessoa é mais “fina”. São estas que podem abusar das cores claras e babados nas saias, calças e shorts.

 4. Retângulo – silhueta reta, sem curvas. Ombros, quadris e cintura tem a mesma largura.

Para melhorar um pouco a falta de curva, tentar marca a cintura, chamando atenção para o centro do corpo.

 5. Oval – região do abdômen arredondado, seis grandes, pernas grossas.

Evitar roupas muito justas, procurando dar destaque para o colo e ombros. Todo tipo de roupas que dê a sensação de alongar a silhueta, direcionando um olhar vertical, como decotes em V e linhas verticais, é válida.

 A “equação” é muito simples: onde você tem volume, você disfarça. Onde não tem, você ressalta. Assim tudo fica mais equilibrado visualmente.  É fácil, basta usar o bom senso e o espelho. Sempre lembrando que na moda não existe regra absoluta, até porque como disse acima, pode ter gente que não se enquadre perfeitamente em nenhuma dessas descrições e tenha algumas características a mais ou a menos. Algumas pessoas tem quadril largo e amam isso, não tem a menos vontade de disfarçar e sim ressaltar (alô Kardashian!). Não tem problema, a gente que escolhe o que quer mostrar ou esconder mais. A gente sugere determinadas peças e combinações que no geral ficam bem no seu tipo de corpo, mas se você não quer disfarçar e sim realçar determinada característica, se sente bonita e confortável, mesmo todo mundo falado para usar de outro jeito, use e seja feliz!

Agora que você já sabe qual o seu tipo de corpo, que tal identificar o se estilo? Estilos universais: com quais você se identifica?

Este post foi reeditado e atualizado, tendo seu texto original sido publicado em 14/02/12.

Estilo

Cinco dicas para alongar a silhueta

A gente que é baixinha sempre recorre ao salto para dar aquela impressão de ser um pouquinho mais alta, né? Só que salto alto não é o único recurso para conseguir esse efeito, não.  Existem várias formas de dar aquele truque para ficar mais longilínea aos olhos dos outros. Digo aos olhos dos outros, poque a gente sabe que tudo isso é efeito visual mesmo e não milagre, e que roupas e acessórios tem o poder de nos fazer parecer mais altas ou mais baixas, mais magras ou mais gordinhas… Dependendo da cor que a gente escolhe pra vestir a gente pode ficar com uma cara mais viva e radiante ou abatida e com ar cansado. Mas vamos por partes, né? Vamos concentrar no efeito alongador!

Reuni cinco dicas para alongar a silhueta e de cara eu já digo que a melhor forma de fazer isso é evitando quebra a silhueta e fazendo tudo parecer uma coisa só. Sabe como?

1. Looks monocromáticos ou tom sobre tom: um jeito bom de parecer mais “comprida” é usar tudo da mesma cor ou em tom sobre tom. A sensação de continuidade no visual (silhueta sem quebra!) faz o olho de quem nos vê correr de cima pra baixo. E de bônus você ainda ganhar um ar muito mais elegante, porque look monocromático também é truque para parecer mais sofisticada.

2. Sapato nude: aqui também a gente trabalha com a continuidade da silhueta. Quanto mais próximo ao tom da sua pele, mais alongador vai ser o sapato. Porque parece que é tudo perna, entende? O olho não percebe de cara onde termina perna e começa sapato. Mas se você não gosta desse tom, dá para conseguir um efeito com cores, desde que você evite sapato fechado como ankle boots, oxfords, etc. Quanto mais pele a mostra, mais comprida a sua perna vai parecer.

A gente mais dicas sobre sapatos que alongam a silhueta neste post aqui ó: Sapato para alongar a silhueta.

3. Evite comprimentos intermediários:  O ideal no corpo é que as pernas sejam mais longas que o nosso tronco, então quando a gente potencializa isso, a gente parece mais alta também.  Calças com cavalo mais baixo e comprimentos no meio do perna – tipo saias mídi e barra de calça muito curta – não ajudam em nada! Melhor optar pelos extremos – mas não tão extremos! – do curto ou do longo. Cintura alta também dá aquela impressão de ser mais alta porque parece que a perna começa lá em cima! Se for usar meia calça, o legal é ser tudo da mesma cor: meia, sapato e a parte de baixo da roupa..

4. Terceira peça: criar uma linha vertical na silhueta também faz o olho de quem vê a gente se mover de cima pra baixo. Por isso usar uma terceira peça que cria essa linha é uma boa pedida. Um blazer, um cardigã aberto, um colete, camisa com fileira de botão, decote em V, um lenço longo, colares compridos… Ah! E esse truque também serve como emagrecedor!

5. Caimento ideal: nem tão justinho que fique muito grudado na pele e também não tão largo que não mostra formas. Quando o caimento da roupa acompanha a silhueta sem ser apertado demais ajuda a parecer mais alta.

Lembrando que nada disso é regra. Funciona com uns, pode não funcionar com outros, já que cada pessoa tem um corpo diferente. O que vale é experimentar, ver quais desses artifícios serve para você, e se gostar do resultado, por em prática.

Quer saber como descobrir qual o formato do seu corpo e quais os truques para valorizar? Vai neste post aqui: Qual o meu tipo de corpo?