Arquivos da categoria: Estilo

Estilo

#follow friday: Costanza & Marilu

Com um pouco de atraso, porque o dia não foi fácil por aqui, resolvi estabelecer uma categoria nova aqui no blog. Acho essa hashtag um barato, especialmente do jeito que minhas queridas amigas do saudoso blog Vou de Saia usavam (alô Mari e Lud! :*). Toda sexta é dia de indicar algo legal para ler, ouvir, ver and seguir.

Hoje eu indico à vocês darem uma conferida no canal do Youtube Constanza & Marilu. A nossa já conhecida Costanza Pascolato se junta a sua amiga Marilu Beer para falar de tudo que é assunto, de um jeito mega engraçado. É uma bate papo das duas, com variados temas em vídeos de 10 minutos em média. Elas já tem alguns bom anos vida de bagagem e é interessante vê-las interagindo numa conversa de amigas, dando opiniões sobre uma série de temas e contando acontecimentos da vida delas, sempre de um jeito tão bem humorado.

10155052_1597056597186180_4566068228419343488_n

 

Nunca tinha ouvido falar da Marilu e ela é um figura! A Costanza a gente já sabia que era divertida e de bem com a vida. Do tipo de pessoa que não se leva tão à sério na vida, por isso que é tão admirada por todo mundo “das moda”.

É bom para distrair e dar umas risadas. Vai ao ar sempre às terças e quinta, às 11h, no canal delas (clica aqui ó). Mas o bom de Youtube é que se você perder o horário, dá pra ver tudo depois com calma. Tem também a página do Facebook para acompanhar, aqui. O programa do dia 19/05 vai ser ao vivo para responder perguntas da audiência, então você pode participar deixando a sua pergunta lá na fapage do programa. ;)

Foto: Repodrução Costanza & Marilu

Estilo

Como usar vermelho: combinações menos comuns

Quando a gente tem o ato de se vestir como uma atitude mecânica e corriqueira do dia a dia, a gente acaba fazendo tudo muito igual. Nos acostumamos com determinadas fórmulas pré concebidas e repetimos sem pensar muito, porque é rápido, fácil e não exige que paremos para pensar. Daí a gente acaba fazendo sempre as mesmas coordenações: de cores, de peças, de ideias. Só que vale muito a pena experimentar o novo, sair do óbvio e tentar outras combinações além daquelas que todo mundo faz. É um exercício muito bom para descobrir como seu armário pode ser muito maior do que você pensa!

Não sou do tipo que acha que porque é Natal, tem que ir para a festinha vestida de vermelho e verde. Mas, aproveitando a época do ano e sua relação com a cor, achei que dava um bom gancho para começar a nossa série de posts sobre como combinar as cores de formas diferentes do comum. A cor de hoje é o vermelho e a gente vai te mostrar novas possibilidades além do vermelho/preto, vermelho/branco, vermelho/marinho e vermelho/verde.

Começando discreto, para aquelas que gostam de um visual mais clássico: vermelho + nude ou seus variantes (cáqui, caramelo, etc) . Sou muito suspeita porque amo nude – e neutros em geral – e ele fica muito legal com cores mais fortes, como o vermelho. Um outro neutro bom de combinar é o cinza em suas diversas tonalidades (claro, mescla, chumbo).

combinando-vermelho-neutro

Para quem não tem medo de misturar cores forte, a sugestão é fazer um colorblocking de cores irmãs – aquelas que ficam lado a lado no círculo cromático. Elas não são muito contrastantes e compõem um visual um pouco menos chamativo – e por serem tons próximo até ajudam a alongar a silhueta –  tipo vermelho com laranja, vermelho com rosa ou vermelho com vinho!

combinando-vermelho-colorido

Indo para um nível mais hard de mistura de cores, a gente pode coordenar vermelho com outras cores fortes como amarelo (ovo ou mostarda, fica bem com os dois tons), roxo, azul bic.

No quesito estampas, as listras são clássicas, porque faz aquela combinação navy bonitinha. Mas para dar uma variada, vá de listras em preto e branco, ou mesmo combine com outras padronagens como pied-du-poile, zebra ou poá. Outra estampa que eu também adoro combinar com vermelho é a onça!

combinando-vermelho-estampas

Enfim, há toda uma diversidade de opções, cada uma mais legal que a outra, basta você abrir a mente para as possibilidade e experimentar. A gente trouxe apenas algumas sugestões para te animar e tem mais no nosso álbum do Pinterest (clica aqui para ver). Mas o exercício de provar a combinação no corpo e se ver no espelho vale muito mais! Olhou, achou bonito, se sentiu bem, então manda ver! Experimente!

Estilo

Qual o meu tipo de corpo?

Quando a gente resolve cuidar da nossa imagem e investir em roupas que nos valorizem, a primeira providência que precisamos tomar é conhecer bem o nosso corpo. Se a gente quer comprar e usar roupas que nos deixem mais bonitas, escondendo o que não é tão legal e ressaltando nossos pontos fortes, a gente precisa saber onde estão estes pontos, quais as nossas proporções. Saber qual o seu tipo de corpo pode ajudar bastante nesse processo.

As meninas do Oficina de Estilo – que eu adoro! – usam a teoria do peso visual. Independente dos cinco tipos de corpo feminino, que a gente vai ver logo abaixo, elas entendem que é mais importante saber onde o sua silhueta chama mais atenção. Não importa quanto mede em centímetros, mas onde o olho bate primeiro quando a gente te vê. E isso dá pra descobrir também medindo o corpo com um fita comum, não precisa ser métrica. Onde a fita é maior é o seu peso visual, e aí você trabalha as suas escolhas no intuito de equilibrar onde tem mais peso visual com onde tem menos.

Mas acredito que para quem vai fazer esse exercício de observação e escolha de roupa sozinha, sem auxilio de profissional, pode ser bom conhecer as classificações dos tipos físicos.

Silhueta

Na teoria existem cinco tipos físicos e provavelmente a gente se encaixa na descrição de alguns deles. Se você não tem as características exatas de um deles, não tem problema. Especialmente aqui no Brasil onde há muita mistura e diversidade, é impossível que todas as mulheres estejam enquadradas em só cinco tipos. Daí você pode usar também a técnica do peso visual, que a gente falou lá em cima. Perceba também que para cada tipo desses acima, existe uma maneira de disfarçar os desequilíbrio visual da silhueta.

1. Ampulheta – Os  ombros e quadris com a mesma largura e a cintura fina.

Esse é o corpo que quase todo mundo deseja ter, pois as formas proporcionais fazem com que a qualquer tipo de roupa lhe caia bem. A dica é valorizar marcando a cintura e ressaltando as formas, sem exageros.

2. Triângulo ou pêra – ombros estreitos, quadris largos e cintura fina

Acho que a maioria das brasileiras tem essas características. Aqui a solução é dar destaque a parte de cima, que é mais fina, evitando detalhes, babados e cores claras na parte de baixo, de modo a não chamar atenção para a parte mais larga do corpo. Assim, as proporções ficam balanceadas.

 3. Triângulo invertido – ombros largos e quadril estreito.

Aqui o segredo é balancear a desproporção entre ombro e quadril com um pouco de volume na parte de baixo. Assim fica tudo visualmente mais harmonioso. As blusas devem ser em cores escuras e sem muitos detalhes pois o destaque deve ficar embaixo, onde a pessoa é mais “fina”. São estas que podem abusar das cores claras e babados nas saias, calças e shorts.

 4. Retângulo – silhueta reta, sem curvas. Ombros, quadris e cintura tem a mesma largura.

Para melhorar um pouco a falta de curva, tentar marca a cintura, chamando atenção para o centro do corpo.

 5. Oval – região do abdômen arredondado, seis grandes, pernas grossas.

Evitar roupas muito justas, procurando dar destaque para o colo e ombros. Todo tipo de roupas que dê a sensação de alongar a silhueta, direcionando um olhar vertical, como decotes em V e linhas verticais, é válida.

 A “equação” é muito simples: onde você tem volume, você disfarça. Onde não tem, você ressalta. Assim tudo fica mais equilibrado visualmente.  É fácil, basta usar o bom senso e o espelho. Sempre lembrando que na moda não existe regra absoluta, até porque como disse acima, pode ter gente que não se enquadre perfeitamente em nenhuma dessas descrições e tenha algumas características a mais ou a menos. Algumas pessoas tem quadril largo e amam isso, não tem a menos vontade de disfarçar e sim ressaltar (alô Kardashian!). Não tem problema, a gente que escolhe o que quer mostrar ou esconder mais. A gente sugere determinadas peças e combinações que no geral ficam bem no seu tipo de corpo, mas se você não quer disfarçar e sim realçar determinada característica, se sente bonita e confortável, mesmo todo mundo falado para usar de outro jeito, use e seja feliz!

Agora que você já sabe qual o seu tipo de corpo, que tal identificar o se estilo? Estilos universais: com quais você se identifica?

Este post foi reeditado e atualizado, tendo seu texto original sido publicado em 14/02/12.

Estilo

O cinza moletom, como usar?

Eu pesquisei um bocado, juro, mas não consegui descobrir o que significa cinza mescla. Não encontrei uma definição para essa cor já que a cada texto/post que eu lia intitulava um tom diferente como mescla. Então, preferi englobar tudo que é cinza e tem jeitão de moletom no termo cinza-moletom, seja claro ou escuro  ou em todos os seuS 50 tons! .

Já falei inúmeras vezes aqui no blog como eu amo cores neutras! Eu também uso peças coloridas, misturo estampas, faço color blocking, mas a maioria das minhas peças são mesmo pretas, brancas, beges e agora ando amando e comprando o cinza, especialmente esse com cara – e conforto! – de moletom. Toda foto que vejo de look com moletom ou camiseta cinza eu copio e colo na minha pastinha de inspiração, e dessa seleção é que este post nasceu!

A gente logo imagina que esse cinza-moletom vai nos deixar com cara de quem saiu para fazer ginástica, ou que se vestiu para ficar em casa. Mas uma modelagem bacana e uma combinação bem pensada pode mudar tudo!!

1. Para sair do óbvio porém sem erro preto&branco, que tal trocar um dessas cores pelo cinza? Ou mesmo uma combinação das três cores! A gente já comentou aqui no blog como é bacana coordenar cores neutras (cinza, branco, bege, preto, marrom, marinho) entre si, já que a maioria das pessoas combinam o neutro com cor colorida.

cinza+neutros

2. Para quebrar a informalidade da peça, que remete mesmo a roupa esportiva, use com outras mais formais: calça social, salto alto, blazer, couro, etc.

moletom+blazer+saialapis+alfaiataria

3. Quer ficar mais moderninha? Então esqueça os neutros e vá de cor forte: cinza fica lindo com amarelo, rosa, laranja, azul…

cinza+colorido

4. Uma boa camiseta cinza pode ser bem útil no armário. Dá para fazer o look dia-de-trabalho-casualdespojado-final-de-semana e também o balada-hi-lo.

moletom+trabalho+lazer+balada

As camisetas mescla normalmente são de malha de algodão (tecido natural que é ótimo para o calor!) e tão básicas que achamos para vender o ano todo. Já o moletom mesmo, a gente pode deixar para o inverno porque eles normalmente são mais quentinhos. E ambos são feitos com tecido molinho, o que proporciona um belo conforto!

Estilo

Vários tipo de xadrez

Estamos na época do ano em que mais se vende camisa xadrez aqui no Nordeste. Isso porque existe uma convenção cultural que associa essa estampa às festas de São João, que acontecem nesse mês. O que é uma pena, porque limita uma estampa tão bonita e versátil a uma ocasião específica e quando você resolve usar essa camisa fora da época ouve sempre aquele comentário infame: “vai dançar quadrilha, é?”.

Gente, o xadrez vai muito além das festas juninas! É só lembrar que Kurt Cobain não pulava fogueira e ele vivia com uma camisa xadrez. E mais! Existem vários padrões de xadrez, alguns que a gente nem achava que era xadrez, mas é.

O mais conhecido é o tartan, estampa típica dos trajes escoceses e que a está na maioria das camisas que a galera usa na festa junina. São listras coloridas que criam desenhos de várias larguras.

xadrez-tartan

Vichy, é o nome daquele xadrez que lembra uma toalha de pic nic. Todos do mesmo tamanho, pequenininhos, normalmente em vermelho ou preto em fundo branco. Foi muito usado na década de 50, quando Brigitte Bardot usou um vestido de noiva com essa estampa em seu segundo casamento, com o ator de cinema Jacques Charrier. É original da cidade francesa de Vichy, que fabricava tecidos leves de algodão para aventais e camisas.

xadrez-vichy

Como o próprio nome já sugere, a estampa tem origem inglesa. O xadrez príncipe de gales é composta por pequenos quadradinhos que, de longe, formam quadrados maiores. É uma ótima estampa para roupas formais, de trabalho.

xadrez-principe-de-gales

Sabe aquele suéter de “mauricinho”? Aqueles com os losângulos? Pois é, essa é a estampa argyle, que se caracteriza justamente por esse padrão de losângulos transpassados por listras. Dizem que esta padronagem surgiu na região de Argyll, local do clã dos Campbell. e foi muito usada e difundida pelo Duque de Windsor.

xadrez-argyle

A padronagem Buffalo ou lenhador é a mais simples de todas: quadrados do mesmo tempo, em duas cores. Dizem que recebeu este nome porque os índios trocavam couro de búfalo por esse tecido.
xadrez-buffalo
O pied de poule nem parece que é xadrez, mas também assim é considerado. Lembra pegadinhas de galinha e daí vem seu nome. Tornou-se um clássico da moda por Chanel, que popularizou a padronagem adotado-a em seus taillers. A diferença entre ele e o pied de coq é que este é maior, enquanto de “de poule” é menorzinha.
xadrez-pieddepoule
Na hora de usar lembre que e em geral, estampa grande aumenta visualmente a região mais que estampa pequena. Estampa mais espaçada também, mais que estampa juntinha, assim como a estampa com fundo de muito contrastante em comparação com a estampa com fundo de menor contraste. Aquelas dicas do post da calça estampada valem também na hora de você escolher sua estampa xadrez, seja para parte de baixo ou de cima.  O legal é que o xadrez tem todas essas opções, desde padrões pequenos como Príncipe de Gales e o pied de poile à padrões maiores como o Tartan, então não tem desculpa para não usar. É só procurar um que ajude no efeito que você procura: para disfarçar ou realçar.
O xadrez pode e deve ser usado em qualquer época do ano, de diversas formas e em várias ocasiões. Do esportivo ao look de trabalho, é só saber escolher o tipo certo. Os muito coloridos – como o Vichy e o Tartan – são mais informais e devem ser evitados no escritório. Mas o Príncipe de Gales e o pied de poile ficam lindo em calças de alfaiataria e blazeres. Abra mente e não tenha preconceitos!
Estilo

Cinco dicas para alongar a silhueta

A gente que é baixinha sempre recorre ao salto para dar aquela impressão de ser um pouquinho mais alta, né? Só que salto alto não é o único recurso para conseguir esse efeito, não.  Existem várias formas de dar aquele truque para ficar mais longilínea aos olhos dos outros. Digo aos olhos dos outros, poque a gente sabe que tudo isso é efeito visual mesmo e não milagre, e que roupas e acessórios tem o poder de nos fazer parecer mais altas ou mais baixas, mais magras ou mais gordinhas… Dependendo da cor que a gente escolhe pra vestir a gente pode ficar com uma cara mais viva e radiante ou abatida e com ar cansado. Mas vamos por partes, né? Vamos concentrar no efeito alongador!

Reuni cinco dicas para alongar a silhueta e de cara eu já digo que a melhor forma de fazer isso é evitando quebra a silhueta e fazendo tudo parecer uma coisa só. Sabe como?

1. Looks monocromáticos ou tom sobre tom: um jeito bom de parecer mais “comprida” é usar tudo da mesma cor ou em tom sobre tom. A sensação de continuidade no visual (silhueta sem quebra!) faz o olho de quem nos vê correr de cima pra baixo. E de bônus você ainda ganhar um ar muito mais elegante, porque look monocromático também é truque para parecer mais sofisticada.

2. Sapato nude: aqui também a gente trabalha com a continuidade da silhueta. Quanto mais próximo ao tom da sua pele, mais alongador vai ser o sapato. Porque parece que é tudo perna, entende? O olho não percebe de cara onde termina perna e começa sapato. Mas se você não gosta desse tom, dá para conseguir um efeito com cores, desde que você evite sapato fechado como ankle boots, oxfords, etc. Quanto mais pele a mostra, mais comprida a sua perna vai parecer.

A gente mais dicas sobre sapatos que alongam a silhueta neste post aqui ó: Sapato para alongar a silhueta.

3. Evite comprimentos intermediários:  O ideal no corpo é que as pernas sejam mais longas que o nosso tronco, então quando a gente potencializa isso, a gente parece mais alta também.  Calças com cavalo mais baixo e comprimentos no meio do perna – tipo saias mídi e barra de calça muito curta – não ajudam em nada! Melhor optar pelos extremos – mas não tão extremos! – do curto ou do longo. Cintura alta também dá aquela impressão de ser mais alta porque parece que a perna começa lá em cima! Se for usar meia calça, o legal é ser tudo da mesma cor: meia, sapato e a parte de baixo da roupa..

4. Terceira peça: criar uma linha vertical na silhueta também faz o olho de quem vê a gente se mover de cima pra baixo. Por isso usar uma terceira peça que cria essa linha é uma boa pedida. Um blazer, um cardigã aberto, um colete, camisa com fileira de botão, decote em V, um lenço longo, colares compridos… Ah! E esse truque também serve como emagrecedor!

5. Caimento ideal: nem tão justinho que fique muito grudado na pele e também não tão largo que não mostra formas. Quando o caimento da roupa acompanha a silhueta sem ser apertado demais ajuda a parecer mais alta.

Lembrando que nada disso é regra. Funciona com uns, pode não funcionar com outros, já que cada pessoa tem um corpo diferente. O que vale é experimentar, ver quais desses artifícios serve para você, e se gostar do resultado, por em prática.

Quer saber como descobrir qual o formato do seu corpo e quais os truques para valorizar? Vai neste post aqui: Qual o meu tipo de corpo?

Estilo

Como combinar azul marinho

Quando a gente tem o o hábito de “colecionar” looks e imagens a gente acaba percebendo com mais facilidade quais as peças, cores, combinações que a gente mais gosta. Na minha pastinha tem uma profusão de listras, maxi colores e outras coisas que são o meus preferidos.

Uma combinação que tenho visto bastante e tem me agradado muito – já juntei muitas referências – é o preto com azul marinho. Quem tem um dress code formal para trabalhar sabe que esse combinação vai muito bem. Até usei esses dias para ir trabalhar e mostrei no Insta (aqui).

O azul marinho já é por si só uma cor bastante elegante e a combinação com o preto não é muito óbvio porque normalmente a gente usa essas cores como a cor base para combinar com outras coloridas. É super comum a gente ver azul marinho + vermelho, ou azul marinho + braco, por conta estética navy.  Mas o marinho é versátil, tanto quando o preto, e fica bem com muitas outras cores.

Com vermelho, branco e bege a gente também já sabe que fica legal. Por isso, o interesse é experimentar outras combinações.

Também fica muito elegante com o verde, seja o bandeira ou o militar. Com amarelo é outra combinação que acho lindo! E vai bem com o mostarda, que é tendência dessa inverno e com outros tons mais abertos também.

Com rosa, laranja e tons semelhantes fica muito bom. Outra combinação bacana é misturar outros tons de azul, como o azul bebê.

Como o preto, o marinho fica bem com tudo e por isso é uma opção para mudar um pouco essa mania que a gente tem de sempre optar pelo preto quando não sabe combinar determina peça colorida ou estampada.

Aí pesquisando nos meus arquivos aqui, percebi que tenho várias peças nessa cor para praticar essas combinações. Nem tinha me tocado que tenho saia, blazer, camisa…  e vocês? Vão de marinho com o que?